terça-feira, 16 de julho de 2013

Oficina de Criação com Paulo Sandrini

Oficina de Análise e Criação
Ministrante: Paulo Sandrini
 
 “Escrita literária como
  forma de alteridade”
 
Inscrições: a partir do dia 17 de julho
ver site da FCC.
 
 
Dia/Horário: Sábados, 14h às 18h
 
Local: Palacete Wolf
 
Datas: 24/08, 31/08, 14/09, 28/09, 05/10, 19/10, 26/10, 09/11, 23/11, 30/11.
 
 
O curso
 
"Essa oficina de análise e criação literária surge com a intenção de se produzir textos criativos voltados às questões de alteridade. Ou seja, por que se escreve e para quem se escreve? O objetivo é discutir e produzir — sempre com base, obviamente, na liberdade de expressão e criação dos participantes —  textos criativos e análises literárias que ajudem a reflexão acerca do tempo atual, do tempo em que há um profundo pensamento da produção literária marcada pelo universo do indivíduo isolado, urbano, buscando o registro, pelo literário, de suas projeções muito particulares, o que muitas e muitas vezes desconsidera o interlocutor como fator preponderante para a sobrevivência e ganho de importância do texto literário para a sociedade em geral. Para isso é bom lembrar o tratamento de um tema tão caro à criação artística que é o da Subjetividade. Dentro do pensamento de Sartre, por exemplo, temos que a concepção de subjetividade dá dignidade ao homem, pois não o considera um objeto. Dentro mesmo do existencialismo, tanto quanto do marxismo verdadeiro (segundo Sabato), a subjetividade não é necessariamente individual, já que no cogito o homem descobre não apenas a si mesmo, mas também os outros; e nesse sentido o homem captaria a si mesmo estando diante do Outro, e o Outro é tão certo para ele quanto ele mesmo. A subjetividade seria portanto intersubjetiva, e se realiza a cada momento mediante as atividades dos homens, portanto a realidade não seria unicamente “a realidade do sujeito”. Embora a obra de arte seja produto do indivíduo e de um indivíduo marcadamente singular, como é todo criador, a arte não seria, segundo Sabato, estritamente individual e assim a produção de cada escritor ou artista conclui cabalmente seu ciclo quando se reintegra à comunidade, quando produz e sente a comoção dos que vivem como esse mesmo artista. A arte, afirma Sabato, assim como o amor e a amizade,
não existe no homem, mas entre os homens."
 
Paulo Sandrini



 

Sofrer  degolas  diárias  nos  faz  criar  cada  vez  mais  artérias. Nunca  tem  fim. A  vida  é  vermelha. A  crueldade é  branca. O  azul...